Make your own free website on Tripod.com


 

Podemos dividir o artesanato em diversos segmentos, como cultura popular que, quase sempre tendo sua origem na necessidade utilitária do dia-a-dia, progride para artística, sendo muito admirada, principalmente devido à exclusividade das peças, por serem feitas uma a uma e não em série, como no processo industrial.

No segmento da Tecelagem, destacam-se as "Redeiras" que, antigamente, fiavam e tingiam o fio com o qual teciam as redes contendo motivos lavrados em sua extensão. Levam 30 dias ou mais no feitio de cada rede, o que encarece o produto e dificulta a atividade enquanto profissão. Encontramos ainda algumas tecedeiras na região de Cuiabá e Várzea Grande, entre outros municípios.










O Pilão pode ser considerado como artesanato utilitário, apesar de algumas pessoas utilizarem-no como peça decorativa. Sua matéria prima é a madeira de cumbaru ou piúva e tem como função pilar, por exemplo, arroz, para fazer bolo de arroz, milho, para fazer pamonha.













Artesãos e artesãs trabalham com Cerâmica, apresentado-a em diferentes tipos: utilitária simples, utilitária figurativa e decorativa. A utilitária simples é destinada ao uso doméstico; a figurativa também é funcional, mas apresenta formas mais elaboradas; a decorativa, como o próprio nome diz, tem como função decorar, enfeitar.

Há grupos que profissionalizaram-se na arte da modelagem do barro, como o núcleo do São Gonçalo Beira-Rio (em Cuiabá), artesãos de Poconé, Rondonópolis, Rosário Oeste, Várzea Grande, etc. Modelam: potes, panelas, vasos, moringas, jarros, talhas, fruteiras, bois, cavalos, pintinhos, santos, etc, que são queimados à lenha, em forno ou fornalha.



A Viola de Cocho, principal instrumento utilizado nas toadas de cururu e siriri, é confecciopnada pelos próprios cururueiros. Eles têm a sabedoria acerca das melhores madeiras (dentre as quais: sarã, mangueira, figueira), o período em que devem ser cortadas, as ferramentas a serem utilizadas (machado, facão, enxó, plaina, faca, marreta, lixa), colas adequadas (de poca de peixe, de batata, de sumbaré) e cordas que darão o melhor som (tripa de macaco, bugio ou ouriço).






Os Trançados com fibras vegetais de taquara, buriti e urumbumba são confeccionados por indígenas e moradores da zona rural, produzindo toda espécie de cestarias e móveis.
















O Artesanato Indígena é bastante diversificado, visto que todos seus utensílios são confeccionados artesanalmente, desde os objetos do dia-a-dia, até aqueles utilizados em rituais sagrados. As redes em que dormem, os colares, cocares e demais adereços que utilizam, ferraments, panelas, pratos, leques, cestas, máscaras, brinquedos, etc.

A marioria desses objetos é imbuída de símbolos, que são expressos em suas cores, formas, materiais que utilizam ao confeccionar, etc, variando de uma para outra nação indígena.

© Copyright: Centro de Processamento de Dados do Estado de Mato Grosso